BLOG LFN321 - MICROBIOLOGIA

Este blog é mais uma ferramenta para auxiliá-los no decorrer da disciplina. Durante o semestre serão postados os tópicos das aulas de cada semana, textos complementares, avisos e dicas para as provas. Além disso, será aberto espaço para perguntas, sugestões e críticas em relação à disciplina, de forma a facilitar a comunicação entre estudantes, professores e estagiários. Sejam bem vindos!

domingo, 4 de março de 2012

Aula 1 - Introdução e história da microbiologia

Aula 1 - resumo

Além da apresentação da disciplina na primeira parte da aula, vimos também uma breve história da microbiologia. A Microbiologia começou com a invenção do microscópio e consequente descoberta dos microorganismos por  Leeuwehoek (figura ao lado).

No entanto, por mais de duzentos anos ninguém reconheceu que os microorganismos eram importantes em nosso dia-a-dia. Coube a Pasteur (figura abaixo)  esta primeira tarefa quando ele concluiu que a fermentação do suco de uva não se dava espontaneamente e sim que era resultado da ação de microorganismos (hoje sabemos que são fungos do tipo leveduras,que petencem à Classe Ascomycotina). Com isto surgiu a Teoria Microbiana da Fermentação. De quebra, Pasteur também deduziu que outro grupo de microorganismos (bactéria do ácido acético) também podiam estragar o vinho e que esta podiam ser combatidas por um processo de aquecimento rápido seguido de resfriação, hoje conhecido como pasteurização. Os trabalhos de Pasteur deram então início a uma nova fase na história da Microbiologia, a fase em que os interesses estavam em estudar as causas das doenças e associá-las a microorganismos.


 Nesta fase despontou também Robert Koch, com sua Teoria Microbiana da Doença (ou Teoria Germinal da Doença) que, pela primeira vez, associou  um microorganismo a uma doença animal: o carbúnculo (causado por Bacillus anthracis, o mesmo usado pelos EUA como pretexto para invadir o Iraque!). Na área vegetal, não podemos deixar de citar Anton De Bary, por muitos reconhecido como o pai da Fitopatologia, por descobrir que a temível doença denominada de " requeima da batata"  era causada por um microorganismo (Phytophthora infestans - que significa algo como a devoradora de plantas em latim). Este organismo, hoje classificado no Reino Stramenopila (conhece este Reino? Aguarde...), foi responsável pela morte de mais de um milhão de irlandeses, num episódio conhecido como " A Grande Fome Irlandesa". Mais de dois milhões tiveram que deixar a Irlanda e a maioria foi parar nos EUA.

E a contribuição do Brasil nesta fase? Bem, basta citar Oswaldo Cruz e Carlos Chagas... Pesquisadores da mesma grandeza que Pasteur e Koch, sem dúvida. Você já assistiu ao filme "Sonhos Tropicais"???  Refresque sua memória e faça uma rápida busca sobre as contribuições destes destaques nacionais.

Bem, já que microorganismos causam doenças, então como controlá-los? Agora, entramos numa outra fase da história, onde os interesses se voltam para a questão de como controlar os microorganismos. O acontecimento principal foi a descoberta da penicilina, feita por pesquisadores dos EUA a partir dos trabalhos de Alexander Fleming. A penicilina foi muito importante para reverter a primeira grande guerra em favor das tropas aliadas e isto ilustra o papel decisivo dos microorganismos em decidir o rumo da guerra, já que as infecções nas feridas matavam muito mais que as balas. Assim, quem descobrisse um método de curar estas infecções ganharia a guerra. Este é apenas um exemplo do papel dos microorganismos em determinar os caminhos de nossa história (vejas muitos outros mais no livro "Germes, armas e aço", de Jared Diamond).



Fleming é apenas um exemplo. Há outros que contribuíram para a cura das doenças causadas por microorganismos. Vimos outros nomes em aula: Semmelweiss, Lister, Erlich, e por aí vai.

Curioso é que, antes mesmo do início desta fase, já tínhamos um meio de combater a varíola, descoberta por Edward Jenner, muito embora a maneira pela qual este método funcionava não era compreendida. Estamos falando da vacina (termo que vem do latim- vacca). Coube novamente a Pasteur desvendar o princípio de funcionamento da vacinação (e de quebra ele criou uma vacina contra a raiva). Mas lembre-se, toda novidade leva tempo para ser aceita, inda mais naquela época quando os meios de comunicação nãoeramtão avançados. Desta forma, nem todo mundo aceitava a vacinação como forma de combater doenças. A Revolta da Vacina no Rio de Janeiro, enfrentada por Oswaldo Cruz, decorreu desta realidade.

Na área vegetal, temos o episódio da descoberta, ao acaso, do efeito fungicida do cobre sobre o agente causal do "míldio" da videira (a doença mais importante da cultura até hoje). Millardet estava mais é preocupado em inibir o roubo de uvas em plantios na região de Bordeaux (França) e resolveu pintá-las de azul, usando para isto uma calda cúprica que ficou conhecida como "calda bordalesa". O problema do roubo não foi resolvido, mas o do míldio sim! O cobre se mostrou excelente agente fungicida,  tanto é que até hoje é a classe de fungicida mais vendida no mundo!! 

O período áureo da fase do controle deu-se no início do século passado e se estendeu até a década de 70. Foi um período de intensa descoberta de antibióticos e de métodos preventivos, como a vacinação. A euforia era tanta que o departamento de sáude dos EUA chegou a proclamar vitória sobre os microorganismos, dizendo que daquela época em diante as mortes causadas por eles seriam drasticamente reduzidas. Bem, bastou dizer isto e apareceu a AIDS...Recentemente tivemos a epidemia de gripe e todo ano temos dengue, malária, febre maculosa, etc. Sem contar que temos um grande problema: as bactérias ficam resistentes a antibióticos e nosso arsenal de antibióticos está acabando...Na aula de procariotos veremos esta problemática mais de perto.

Hoje, o tema que desperta grande interesse na Microbiologia é o emprego biotecnológico dos microorganismos. A idéia é usá-los para otimizar processos tais como acelerar a decomposição de resíduos orgânicos (esgotos, compostagem), degradar produtos tóxicos ao ambiente, controlar insetos  e doenças, transgenia de plantas e animais e vários outros exemplos que serão vistos nas três últimas aulas. No mundo, por exemplo, há uma verdadeira corrida para viabilizar a produção do etanol celulósico, ou seja, etanol gerado a partir da digestão da celulose em glicose e posterior fermentação desta. Aí está um filão, a galinha de ovos de ouro...Enfim, a palavra "biocombustível" hoje é uma palavra-chave e os microorganismos estão intrinsecamente ligados a ela. Veja um exemplo curioso seguindo este link:
http://revistapesquisa.fapesp.br/?art=71878&bd=2&pg=1&lg= .

mas nem tudo é bagaço de cana...veja também esta reportagem sobre o uso de enzimas microbianas para branquear a madeira durante o processo de produção de papel:

Pesquisa busca produzir enzimas para branqueamento de celulose

01/03/2012. Acesse o link abaixo.
http://agencia.fapesp.br/15238


bem, por fim, segue abaixo uma linha do tempo da Microbiologia e alguns personagens que contribuíram decisivamente para seu progresso. Quem gostar deste assunto (e de ficar fuçando em sebos de livros), eu recomendo a leitura de um clássico sobre a história da Microbiologia: " O homem contra os micróbios" de  W. Drigalski.

até.

Aranha







Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário